Preto No Branco - 08/07/2017 - Música sobre rodas...

No final do século XIX e início do século XX, por engenho e criatividade de homens como Karl Benz, Gottlieb Daimler, Wilhelm Maybach ou Henry Ford, o automóvel tornou-se num objecto do quotidiano, servindo quer os clientes exigentes dos maiores luxos quer os comuns mortais. Em quatro rodas passámos a viajar e sobre quatro rodas passaram a ser criados autênticos objectos de culto que, apesar de inanimados, muitas vezes se tornaram companheiros e amigos. Não é, por isso, de estranhar, que também estes veículos tenham servido de inspiração a alguns músicos na sua criação.



Esta semana viajámos de automóvel, seguindo viagem em alguns dos modelos e marcas mais icónicos traduzidos em melodias e letras mais ou menos devotas dos motores de combustão e tubos de escape! Música sobre rodas porque, mesmo que seja apenas um objecto, há quem adore o seu carro...


01. Belle and Sebastian – I Love My Car
02. Tyvek – Honda
03. Benjamim – Volkswagen
04. Pavement – Passat Dream
05. Grandaddy - El Caminos In The West
06. The Beach Boys – 409
07. Serge Gainsbourg – Ford Mustang
08. Pizzicato Five – Rolls Royce
09. Jonathan Richman & The Modern Lovers - Dodge Veg-O-Matic
10. Neva Dinova – Yellow Datsun
11. Frank Ocean – White Ferrari
12. Lloyd Cole - 2cv
13. Mogwai – Golden Porsche

Preto No branco - 20/05/2017 - O hip hop da Ásia

Uma hora em formato mais ou menos mixtape pelas sonoridades asiatícas do hip hop.

>> [CN] CHINA
01. Rhyme Bop - Learn how to rap from Coach Wang
02. Purple Soul - Long Dan Zi
03. Listalldo - Nakata

>> [MY] MALÁSIA
04. Baria - Pizza please
05. Karmal - Lawan

>> [SG] SINGAPURA
06. F ∆ U X E - The lost dimensions ft. MHC &G-Preme
07. Jogja HipHop Fondantion - Gurindam 12 Raja Ali Haji

>> [KR] COREIA DO SUL
08. Epik High - Born Hater
09. Vasco - Whoa Ha!

>> [TH] TAILÂNDIA
10. P9D - Love
11. Dandee - The answer ft. Day Diz

>> [JP] JAPÃO
12. Kensho Kuma & Cloud N9ne - The declaration
13. Rebel Musical - Fly with me


Preto No Branco - 22/04/2017 - What's in a name?

Nas coisas do mundo natural, os seres vivos organizam-se consoante as suas semelhanças. Os mais próximos e idênticos associam-se em espécies, que se agrupam em géneros, filos, ordens e mais níveis por aí adiante, numa tentativa humana de colocar ordem e estrutura na caótica vida natural. De modo a uniformizar os nomes atribuídos aos animais, adoptaram-se, no início do século XX, regras para a sua nomenclatura, expressas num Código Internacional de Nomenclatura Zoológica (mesmo que os nomes dos seres e a própria ciência da nomenclatura já existissem desde tempos remotos). Decidiu-se assim que todos os seres deveriam possuir um nome em latim,num formato binomial, cuja primeira parte seria a designação de género e a segunda o epíteto específico (por exemplo, o vulgar cavalo é denominado cientificamente como Equus ferus, enquanto a zebra, apesar de pertencer ao mesmo género Equus, se engloba numa espécie diferente, Equus zebra).



Como em tudo o que é ordenado e sujeito a regras, também a atribuição de nomes a novas espécies tem de passar por um crivo e ser justificada. Na maior parte das vezes, o nome de uma espécie reflecte aspectos determinantes da sua morfologia ou anatomia, mas por vezes o baptismo de um novo achado para a ciência é o pretexto perfeito para promover uma homenagem a alguém. Estas homenagens recaem, geralmente, sobre figuras da ciência mas, por vezes, quem propõe o nome encontrou a inspiração noutras esferas da sociedade.
Esta semana passeamos pela organização zoológica e pelas espécies cujo nome foi inspirado ou atribuído em homenagem a músicos ou bandas - porque, afinal, os cientistas também têm ouvidos!

01. Simon & Garfunkel (Avalanchurus simoni, Avalanchurus garfunkeli) - At The Zoo
02. The Beatles (Bushiella beatlesi / Greeffiella beatlei - Struszia harrisoni, Avalanchurus lennoni / Bumba lennoni / Notiospathius johnlennoni, Struszia mccartneyi, Avalanchurus starri) - Do You Want To Know A Secret
03. The Ramones (Mackenziurus ceejayi, Mackenziurus deedeei, Mackenziurus joey, Mackenziurus johnnyi) - We're A Happy Family
04. The Clash (Alviniconcha strummeri) - What's My Name
05. Frank Zappa (Zappa sp. / Pachygnatha zappa / Phialella zappa / Vallaris zappai) - It Must Be A Camel
06. Garcia & Saunders (Cryptocercus garciai) - Soul Roach
07. David Bowie (Heteropoda davidbowie) - Glass Spider
08. Brian Eno (Pseudocorinna brianeno) - Spider And I
09. Johnny Cash (Aphonepelma johnnycashi) - 25 Minutes To Go
10. Lou Reed (Loureedia annulipes) - I Found A Reason
11. Neil Young (Myrmekiaphila neilyoungi) - Birds
12. Ani Di Franco (Orasema difrancoae) - Animal
13. Tangerine Dream (Xanthosomnium froesei) - Fauni-Gena

Os novos sons da Coreia do Sul e de Taiwan


As novas sonoridades da Coreia do Sul e de Taiwan com especial destaque para a editora Dark Paradise Records (TW).

01. Vice City - Universe is here
02. Ma-te Lin - The Girl in the magic shoes
03. 44-22 - Molly
04. Saebyok - Little more
05. Lucitte Tokki - Go
06. Lupa - Frog (Conehead remix)
07. Garion - An old story
08. Sonic Deadhouse - Public Authorities Fuck Off
09. Joosuc - Aim for the Peak 2
10. Sheng - About who?
11. KbN - Centre

Kiwis e Koalas : Música da Austrália e Nova Zelândia (25.02.2017)

















01. Kane Strang : Scarlet King Magnolia
02. Methyl Ethyl : L'Heure Des Sorcières
03. Tame Impala : Solitude Is Bliss
04. Julia Jacklin : Leadlight
05. Pikelet : Beyond the Sky
06. Shocking Pinks : Jealousy
07. Flight of the Conchords : Bowie
08. Jagwar Ma : Backwards Berlin
09. Sia : Butterflies
10. Holly Throsby : What Do You Say? (feat. Mark Kozelek)
11. Tiny Ruins : Carriages
12. Skallander : Colleei
13. Husky : Deep Sky Diver
14. The Paper Kites : Young
15. The Paper Kites : Malleable Beings

Preto No Branco - 07/01/2017 - Uma colheita musical de 2016

Eis-nos então chegados ao maravilhoso novo mundo de 2017. Mas será que podemos voltar, por uns minutos, a 2016?



A divisão do tempo em intervalos possibilita não só a existência de calendários como a sensação de fecho de ciclo extremamente propícia a balanços. Muitos foram os que se fizeram no final de 2016, com tops para todos os gostos (de personalidades do ano aos momentos que o marcaram), com listas organizando o que de melhor se fez em campos como, por exemplo, os da literatura, do cinema e, claro, da música. O Preto No Branco optou, no entanto, por não fazer listas nem ligar a tops. Num ano que poderia ser desenhado como uma montanha-russa, em que todos fomos especialistas em política (mas poucos antevimos o resultado efectivo de eleições, referendos e processos políticos), em que celebrámos uma selecção campeã (e nos juntámos ao luto de uma equipa desfeita), em que o terror e o conflito chegaram a locais impensáveis (e a reconciliação nem sempre foi tão bem acolhida como seria de esperar), em que meio mundo andou pelas ruas a caçar figuras imaginárias, em que o vinil vendeu mais que a música em bits e bytes, em que, em termos musicais, se assistiu a novidades, confirmações e regressos há muito esperados (e outros tantos inesperados), num ano em que o mundo da música ganhou um Nobel Dylan mas perdeu nomes incontornáveis como David Bowie, Leonard Cohen, Alan Vega, Pete Burns, Sharon Jones, Greg Lake, Prince – ou outros igualmente acarinhados como Pauline Oliveros, Geneviève Castrée ou Thomas Fekete, no balanço desse ano queremos lembrar outras músicas que talvez não surjam nos tops e listas de melhores do ano, mas certamente ajudaram a tornar 2016 num ano inesquecível!
Um exercício certamente a continuar por 2017 adentro, porque temos, nitidamente, mais discos que amigos…


01. Teenage Fanclub – Live In The Moment
02. Laura Gibson - Damn Sure
03. Emily Reo - Spell
04. Alex Sommers – Memories
05. C Duncan - Last To Leave
06. Message To Bears - I'll Lead You There
07. Pascal Pinon – 53
08. My Bubba - Around
09. Big Thief – Paul
10. Kevin Morby - Black Flowers
11. Momus – Pessoa
12. Mutual Benefit - Closer Still
13. Nick Cave & The Bad Seeds - Rings Of Saturn
14. Jarvis Cocker - Poor Babes In The Woods