Preto No Branco - 15/05/2010 - Roubei o Futuro Só Para Ficar Com Ele - No Limite do Futuro

4 Hero
Programa só de 1 Hora, por causa das transmissões da Queima das Fitas 2010.
Após o balão da euforia das raves se ter esvaziado em Inglaterra, a música de dança voltou-se outra vez para as discotecas, por exemplo em Londres para a Shoom e em Manchester a mótica Hicienda. Contudo, ainda abaixo deste nível, havia um mundo paralelo de gente que procurava música à beira do acontecimento. Para isso, o house doce, ou até o hip-hop com as suas 80 a 90 batidas por minuto (bpm), não lhe bastava, algo mais frenético era requisitado. As limitações de 126bpm das "drum-machines" Roland TR-909, não chegavam e para isso os Disk-Jokeys, alteravam os seus gira-discos Technichs para aumentarem ainda mais a velocidade dos discos usados para os "samplings". A necessidade de procurar uma solução rítmica adequada ao pretendido, leva-os à procura do "break-beat". E esse, como poderão ouvir em baixo, viria sobretudo dos discos de funk dos final da década de 60, Criou-se assim uma nova cultura, representativa ainda das cidades britânicas inócuas, da juventude destas à procura de sentido, encontrando uma porta de saída, ainda anos antes do "Second Life", para criarem um mundo virtual, baseado nos jogos de computador, na cultura cibernética e no mundo dos "sound-systems" de origem jamaicana importados pelo mundo ocidental, gerador dos rap em Nova Iorque, do "trip-hop" com raízes em Bristol, e do jungle sobretudo londrino, havendo ainda tempo para absorver as influências do "new.beat" Belga, de gente como Joey Beltram (apesar de ser Americano), T99 e CJ Boland.
Trouxemo-vos para este programa, as "early plates" de "jungle" da editora Reinforced pertencente a Dollis Hill.
(O texto em cima foi baseado no capitulo sobre jungle do livro "Modulations" editado por Peter Shapiro, e também no artigo de Mark Fisher, secção "Epiphanies" da revista inglesa Wire #206 - Dezembro de 2007.)
1-4 Hero – The Early Plates – Students Of The Future
2- Documentário – “6 Seconds” (Link para "The Winstons - Amen Brother")
3-4 Hero – The Early Plates – Better Place
4-Tek 9 - The Early Plates – Del Die Gogo
5-Rufige Cru - The Early Plates – Killa Muffin
6-Tek 9 - The Early Plates – Don’t Leave Me This Way
7-Rufige Cru - The Early Plates – Krisp Biscuit
8- Tek 9 - The Early Plates – Don’t Leave Me This Way
9-Rufige Cru - The Early Plates – Darkrider
Notas:
Links para documentário sobre "jungle" feitos pela BBC: "Jungle Music (Part 1)", "Jungle Music (Part 2)", "Jungle Music (Part 3)"
Aconselha-se também a audição da colectânea "Rumble In The Jungle"
Artigos sobre "jungle" de Simon Reynolds.

Preto No Branco - 01/05/2010 - Distintos Futuros



Emissão de Rui Ferreira


Primeiro foi o charme indiscutível do glamour vivido a partir da dos inícios da década de 70. Mas, isso não bastava para quem olhava para música como algo em que o movimento cénico, poderia também conduzir ao futuro. Os Roxy Music, com um primeiro álbum onde a capa mostrava uma bela senhora em pose sensual, a as roupas coloridas, os penteados elaborados com a androgenia de um músico, teclista e manipulador de fita magnéticas, escondiam um álbum de rock, tipo FM, mas onde se escondia uma vontade de escrever canções de aparência formal, onde uma linha fina de experimentalismo se escondia mas fazia toda a diferença. Depois veio um segundo álbum, sólido na composição, e talvez o último antes de um grupo de gente ter partido para um pop aceitável, e perante os padrões de hoje até muito bom, que provocou a onda do neo-romantismo. No entanto, a veia experimental, já tinha partido para outras atmosferas - Apollo cujas missões estavam a terminar, foi o ponto de fuga de um horizonte onde era inevitável o encontro com os cósmicos alemães.
A seguir, a canção num estado sublime. De Liverpool, depois dos Beatles, um Echo fora do comum, de pop perto da abstracção, de arranjos por vezes épicos, ou até dentro de linha de inspiração rítmica raggae, onde o baixo suporta o ritmo seguindo uma linha paralela à melodia, um pouco de krautrock nem sequer ficou esquecido. Além disso, anticiparam-se aos Bunnymen, 20 anos antes de David Lynch.


Ouvir 1ª Hora

Download 1ª Hora



Ouvir 2ª Hora


Download 2ª Hora


Nota Importante:

Documentário sobre Glam Rock: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5

Preto No Branco - 08/05/2010 - Labrador Records

Com a emissão excepcionalmente reduzida a uma hora, esta semana debruçámo-nos sobre o catálogo da editora sueca Labrador Records.

01. Club 8 - Spring Came, Rain Fell [Spring Came, Rain Fell, 2002]
02. Acid House Kings - Sunday Morning [Mondays Are Like Tuesdays And Tuesdays Are Like Wednesdays, 2002]
03. Pelle Carlberg - Go To Hell Miss Rydell [Go To Hell Miss Rydell, 2007]
04. Chasing Dorotea - The Anchor Song [Chasing Dorotea, 2002]
05. Ronderlin - Reflected [Wave Another Day Goodbye, 2003]
06. Loveninjas - Keep Your Love [Keep Your Love, 2006]
07. Sambassadeur - Sandy Dunes [European, 2010]
08. The Legends - Play It For Today [Facts And Figures, 2006]
09. The Radio Dept. - Why Won't You Talk About It? [Lesser Matters, 2003]
10. South Ambulance - Hanging In A Tie
11. Caroline Soul - Been Turning (Into Something Bad) [The Sound Of Young Sweden Volume 4, 2005]
12. Suburban Kids With Biblical Names - Loop Duplicate My Heart/ A Couple Of Instruments [#3, 2005]
13. Ingenting - Här Kommer Solen [Duger, 2005]

Ouvir 1ª (e única) Hora
Download 1ª (e única) Hora