Sessões Dum Pacóvio de Província - Recordações do Futuro - Punk Em Francês E No Século XXI

 

Quando ouvimos a palavra “punk” o nosso pensamento é logo direcionado para Inglaterra com os Sex Pistols como ponto de referência, mas se afinal o “punk”, enquanto música, atitude juntando-se ao lema “faça-você-mesmo” tivesse origens em França: confusos? Não, pois com a colectânea Punk 45: Les Punks – The French Connection, aprende-se que já nos anos 70 o jornalista Yves Adrien da Rock & Folk assinava a sua coluna como Eve “Sweet Punk” Adrien, e que os Pere Ubu foram buscar o seu nome a uma personagem duma peça francesa, Roi Ubu de Alfred Jarry, que Eric Satie é citado por Mark Stewart e ainda que o movimento “punk” terá sido baptizado no centro de Paris quando Malcom McLaren vistou a loja de Marc Zermati, sendo este visionário a convecê-lo que “punk” seria mais interessante que “new wave”. Contudo, os Franceses bebiam a música pré-punk americana, como os Stooges ou New York Dolls em vez da britânica, para fazer o seu punk.

  Punk 45: Les Punks, mas também a colectânea Painks, agora já com acento francês e em complemento à primeira, trazem-nos música interessante e que vale a pena ouvir, para quem pense que o punk era somente anglo-saxónico. Mas ainda há quem o faça enérgicamente como os Fontaines D.C.

 

 

1ª Hora- Influências e Citações

1-The StoogesThe Stooges - I Wanna Be Your Dog

2-New York DollsNew York Dolls - Looking For A Kiss

3-Richard Hell And The VoivoidsThe Blank Generation - Down At The Rock And Roll Club

4-Pere UbuThe Modern Dance – The Modern Dance

5-Colectânea D.I.Y. – The Buzzcocks – Boredom

6-Sex PistolsNever Mind The Bollocks – Anarchy In The UK

7-Mark StewartMark Stewart – Stranger

8-Punk 45: Les Punks - The French ConnectionMetal Urbain – Paris Maquis

9-Punk 45: Les Punks - The French Connection - Sex À Pile – Pas Vraiment Méchant

10-Punk 45: Les Punks - The French Connection – 84 Flesh – Salted

11-PainkLes Olivensteins - Euthonasie

12-Paink - Ruth Ellyeri - Mescalito

13-Punk 45: Les Punks - The French Connection – Gazoline – Sally

 

Ouvir 1ª Hora

 

2ª Hora - Punk em francês, algum em inglês e no Século XXI

1- Punk 45: Les Punks - The French Connection – Metal Boys – Sweet Marylin

2- Punk 45: Les Punks - The French Connection – KAS Product – Mind

3-KAS Product – Try Out – One Of The Kind

4-KAS Produdct – By Pass - Seldom, Often

5-SuicideSuicide – Rocket USA

6-KAS Product – Try Out – Never Come Back

7- KAS Produdct – By Pass – Smmoth Down

8-Mutant Disco Vol.1Garçons – Re Bop Electronic

9-Fontaines D.C.Drogel - Sha Sha Sha

10-WirePink Flag – Ex. Lion Tamer´

11-Fontaines D.C. – Drogel - Television Screens

12-Wire – Pink Flag – Pink Flag

13-Fontaines D.C. – Drogel - Roy's Tune

14-The Limiñanas – Crystal Annis - Longanisse

15-Fontaines D.C. – Drogel – Boys In The Better Land

16-Wire – Pink Flag – The Commercial

17-Wire – Pink Flag – Straight Line

Ouvir2ª Hora

Preto No Branco 09/11/2019 - 2ª Vaga da Bélgica Com Amor (Seesões Dum Pacóvio de Província)




...de Bruxelas, com Amor (à música). 2ª Vaga com as Editoras Les Disques du Crépuscule e Crammed.

1ª Hora

2-Ultramarine – Signals Into Space – Spark From Flint To Clay (Les Disques du Crépucule)
3-Anna DominoEast And West – With The Day Comes the Dawn (Les Disques du Crépucule)
5-Anna Domino – East And West – Land Of My Dreams (Les Disques du Crépucule)
6-Ultramarine – Signals Into Space – 4ª (Les Disques du Crépucule)
7-Zazou\BykayeGuilty – Ba We (Crammed)
8-Mininal CompactThe Figure One Cuts – Nil-Nil (Crammed)
9-Zazou\Bykaye – Guilty – Kinshasa (Crammed)
10-Cabaret VoltaireBody And Soul – No Resistance (Les Disques du Crépucule)
11-Zazou\Bykaye – Guilty – No Secret (Crammed)




 2ª Hora

1-Hommage À Duras – Bartok - Lament (Le Disques Du Créspuscule)
2-Hector ZazouGeographies(Made To Measure Vol. 5) – Cine Cita: Gare Centrale (Crammed)
3-Hommage à Duras – Richard Jobson - Avalanche (Le Disques DU Créspuscule)
4-Hector Zazou – Geographies (Made To Measure Vol. 5) – Denise à Venise
5 Hommage à Duras – Durutti Column With Blaine Reininger – The Sea Wall                                  (Le Disques Du Créspuscule)
7-Samy Birnbach & Benjamin LewWhen God Was Famous (Made To Measure Vol.19) – Ravenna (Herman Hesse) (Crammed)
8-Devine And StattonThe Prince Of Wales – We Deserve It (Le Disques Du Créspuscule)
9-Devine And StattonCardiffians  - A Fact Of Life (Le Disques DU Créspuscule)
11-Free Zone –Variations On A ChillSentinel – Pulse Of Life (Crammed)
12-4 Hero – ParallelUniverse – Universal Love (Crammed)
13-Paul HaigCoincedance vs Fate – I Believe In You (Le Disques Du Créspuscule)
14- Free Zone –Variations On A ChillNuran - Mirage (Crammed)
15- Paul HaigCoincidance vs Fate – The Originator (Le Disques Du Créspuscule)


Preto No Branco 06/09/2019 - Sessões Dum Pacóvio de Província

 E agora... a Bélgica cosmopolita, refúgio anti-Brexit, onde os Uultramarine encontram novos amigos como a cantora Norte Americana Anna Domino, que há muito tempo grava para a editora Les Disques Du Crépuscule, a mesma que nos trouxe em 2019 Signals Into Space dos Ultramarine. Recordações do Futuro, portanto.


1ª Hora

1-Headz- Volume 1 – Tranquality Bass – They Came In Peace
2-Ultramarine – Folk – Lobster
3-Ultramarine – Folk – Antiseptic
4-Ultramarine – Folk – Bustard Folk
6-Ultramarine – Every Man And Woman Is A Star – Discovery
8-Ultramarine – Every Man And Woman Is A Star – Weird Gear
9-Ultramarine – Every Man And Woman Is A Star – Pansy
10-Ultramarine – Every Man And Woman Is A Star – Stella
11-Ultramarine – United Kingdoms – Source
12-Ultramarine – United Kingdoms – Kingdom



2ª Hora

1-Ultramarine – United Kingdoms – Happy Land
2-Ultramarine – United Kingdoms – Urf
3-Ultramarine – Bel Air – Welcome
4-Ultramarine – Bel Air – Buena Vista
5-Ultramarine – Bel Air –Mutant
6-Ultramarine – Signals Into Space – Elsewhere
7-Ultramarine – Signals Into Space – Spark From Flint To Clay
8-Ultramarine – Signals Into Space – $10 Dollar Heel
9-Ultramarine – Signals Into Space – Equatorial Calms
10-The Young GodsT.V. Sky – She Rains
11-Anna Domino- East and West – When The Day Comes The Dawn
12-Bel CantoWhite Out Conditions – Blank Sheets


Preto No Branco - 24/08/2019 - Dimensões Musicais: Tempo

A existência humana e o geral Universo regem-se por constantes muitas vezes difíceis de definir, umas mais concretas que outras mas todas essenciais. Esta semana, pegámos no tempo enquanto dimensão criativa e explorámos, com todo o tempo do mundo, a reflexão do tempo na música!


Ilustração por Rozalina Burkova


01. Moloko - The Time Is Now
02. The Flaming Lips - All We Have Is Now
03. Portishead - Sour Times
04. Modest Mouse - The Good Times Are Killing Me
05. The Postal Service - There's Never Enough Time
06. The Smiths - How Soon Is Now?
07. Eels - My Timming Is Off
08. Badly Drawn Boy - The Time Of Times
09. Suede - This Time
10. The Kinks - This Time Tomorrow
11. Fleet Foxes - If You Need To, Keep Time On Me
12. Au Revoir Simone - Back In Time
13. Jens Lekman - Into Eternity
14. The Magnetic Fields - Promises Of Eternity


15. Pulp - Seconds
16. Noiserv - 47 Seconds Are Enough If You Only Have One Thing To Do
17. Luna - 23 Minutes In Brussels
18. TV On The Radio - Hours
19. Taken By Trees - Day By Day
20. Matthew E. White - One Of These Days
21. Camera Obscura - Every Weekday
22. Eleanor Friedberger - One-Month Marathon
23. Minta & The Brook Trout - A Semester Abroad
24. Teenage Fanclub - Live With The Seasons
25. David Bowie - Five Years
26. Belle & Sebastian - A Century Of Fakers
27. Blur - End Of A Century
28. Iron & Wine - Time After Time

A Memória Do Futuro - Sessões Dum Pacóvio de Província 03/08/2019


Música vinda da memória, alguém que se lembra de artistas com edições próprias ou edições esporádicas, masm cuja música o marcou. Resolve juntar esforços e cria uma editora para pôr ao serviço do Mundo as suas memórias. Primeira hora preenchida com a colectânea Unveven Paths, e a segunda com mais edição de Music From Memory
   2ª Horas, aventuras no País da Bélgica e não só.






11-Night Fall In CampCada Dia (1984) Grupo Belga que procurava gravar o seu 1º EP e não encontravam uma vocalista, até que por sorte se cruzam com Marie Mondi convidando-a. “Cada Dia” o tema que passamos saiu de improviso, e assim nasceu esta interessante canção.
22-Stroer Duo + Howard FineNomad Song (1983) O duo alemão Stroer constituido por Hans e Peter Stroer, assistia em Munich a um espectáculo da Companhia de Dança de Nova Iorque Iwanson onde conhecem o poeta Howrad Fine, nasce uma amizade que leva à partilha de textos e poemas de Fine. Este nunca tinha cantado não indo além duns “sussuros, gritos e breve canto” nas suas “performances”, mas o agora trio desenvolve um estilo designado por “art-top-music-story-telling” e quando são convidados gravar por uma editora de jazz, que lhes concede três semanas de estúdio, estes antes optam por outros locais como o de um pavilhão abandonado duma piscina coberta por causa do eco. Com esta busca de “outros estúdios”, nascem as canções resultantes da colagens de fragementos ou “tape loops”.
33-Tony HymasPictures Of Departure (1988) Anthony Hymas, um músico de jazz inglês mas também compositor, arranjador, pianista e músico de sessões de gravação, tocou com nomes como Frank Sinatra, Jeff Beck e Jack Bruce, nos intervalos foi gravando a sua música. A canção presente na colectânea Uneaven Paths, resulta dum  edição para a editora vanguardista francesa NATO, que lhe propôs o registo dum álbum com um lado instrumental e outro cantado. A canção “Pictures Of Departure” tem uma narrativa situada num aeroporto com uma estrutura repetitiva que se torna mais captivante quando a cantora Laura Davis dos Mustaphas 3 canta o refrão “Quand je reviens”.
44- Miko & Mubare – Komoma Ya-Ya-Ya (1986) Joe Mubare é um homem multifacetado, estudou Psicologia, Ciência Política em Munich e Los Angeles e especializou-se em Terapia Familiar. Desiludido com a actividade profissional que exercia regressa à sua paixão, a música compondo para cinema e televisão, regressanso à Alemanha nos anos 80. Inicia uma carreira a solo, até com uma editora própria, mas sem sucesso comercial, “Komoma Ya-Ya-Ya, resulta da única colaboração que teve com cantora vinda de Berlim Mubare, vulgo Petra Mikolajczuck. Mubare continua nos dias de hoje a compôr para a indústria cinematográfica.
55-Lost Gringos – Tambo Machay (1982) Vindos duma editora de culto de Dusseldorf, que publicou gente como Der Plan, Pyrolator ou DAF, os Lost Gringos poderiam ser considerados um grupo um acto de arte pelo facto de explorarem as novas tecnologias; tinham uma boa dose de ironia e classificavam a sua música com “falsa música do mundo”
66-Patrick Forgas- Sex Move (1984) Gravou em 1977 um álbum com os melhores músicos de rock progressivo, a recepção da crítica foi correcta mas não o sucesso comercial, desiludido Patrick deixa a música e tem vários empregos incluindo uma posição de gestão na hierarquia da companhia “Gaz de France”, mas os seus colegas sempre o encorajaram para voltar a compôr. Gravou então o “single” “C’est Comme Ça La Vie” em tributo aos amigos da “Gaz de France” e no lado B surge então “Sex Move”, uma alusão à paixão não correspondida por uma dançarina de cabaret que decidiiu criar raízes na Austrália.
77-Vanakos – I Hate Disco … Not The Dance (1983) George Vanakos pertenceu a um grupo que actuava exclusivamente ao vivo e com o dinheiro que ganhou nos espectáculos montou um estúdio onde com o seu grupo de pós-punk intitulado Profiles, gravou um único álbum. Paralelalemente  Vanakos fechava-se no estúdio gravando peças a solo, dessas experiências nasce “I Hate Disco... Not Dance”, pois apesar de gostar de música de dança detestava as novas discotecas que brotavam em Atenas nos anos 80.
88-Brenda And The Beach Balls – Dancong Thru´ The Night (1987) Brenda Ray é uma prolífica artista inglesa muito conceituada pela sua música que mistura sons exóticos com “dub”, aqui é acompanhada pela longa cumplicidade de Gerry Kenny que com ela particou nos hoje motivo de culto Naffi. A sua música é descrita como “Eclectic, Electro, Pop Doo –Wop for the dance hall”, e esta canção antes de ser lançada, foi testatada perante a público quando Brenda a divulgava através do seu leitor de K7s no carro em elevado volume.
99-Lou Blic – Minéralité (1991) Lou Blic era um poeta francês que desapareceu em 1995 que colaburou com o prolífico músico francês Phillipe de Lacroix-Herpin, est foi membro do grupo de pós-punk francês Marquis de Sade mas fez também espectáculos com os míticos Zazou e Bekaye. O EP de Blic e Lacroix-Herpin “Miaou Petit Minou” donde foi retirado Minéralité não foi editado exclusivamente enquanto disco mas surgiu num livro de poemas de Lou Blic.
110-Nonobstant – Jessica (1983) O grupo Nonobstant nasceu com quatro músicos, Louis Polis, Phillipe Garrsion, Anyione Cirri e Dari Caterina,  que estudavam no estúdio “Mustique’s  Nouvella” criado por Henri Pousseur no Conservatório de Liège. Os quatro eram admiridores de jazz contemporâneo  como Miles Davis  ou os Soft Mahchine e tocavam em grupos de jazz amadores, por isso a pop que criaram era de contornos jazzísticos. Philiipe Garrison apoio-se então nas suas origens Norte-Americanas para traduzir a letra de Jessica, a canção que trazemos, uma peça que explora o mito da “Bela e o Monstro” , mas num  inglês muito próprio de Nova Iorque.
111-Wolfgang Kingler, Thomas Heimes, Hans-Christian Mittag – Nach Dienst (1986) O trio Wolfgang Kingler, Thomas Heimes e Hans-Christian Mittag, sendo os dois primeiros cunhados de Mittag, eram médicos que trabalhavam no hospital de Monchandegladebach. Entre 1984-85, fizeram “jam sessions”  com sintetizadores, guitarras e programas de percussão com computador na cave de Thomas Heimes. Os colegas ao ouvirem as gravações acharam-nas interessantes e daí resultou o EP “Aufnahmestation” , literalmente sala de emergência, considerado um dos primeiros discos de rap em alemão. A faixa incluída nesta colectânea “Nacht Dienst” que significa “Serviço Noturno” é um improviso com um piano desafinado acompanhado por um sintetizador e percussão gerada por computador, contanto com a voz de Hans-Christian. Apenas  500 cópias foram impressas e vendiadas aos colegas do hospital, as que restaram foram destruídas por uma inundação na cave de Thomas Heimes.
212-John Makin And Friends – No Lie (1985) John Makin era um cantor e compositor inglês bastante considerado no cicruito de folk\blues ao vivo, em 1972 passou a viver em Bruxelas, e “No Lie” é retirado dum álbum gravado ao vivo com o título de “Live At The Planet”. Este disco nunca foi vendido em lojas, mas quando dos concertos e foi o segundo e último álbum editado na sua editora “Ok Records”. Mais tarde John Makin começou a gravar com Mr. John e haveria de ter um sucesso Número Um na Bégica com a paródia “Potverdekke! It’s Great To Be a Belgium”.  Contoniou a gravar até 2011, ano do seu desaparecimento.
113- Steve Beresford – Comfortable Gestures (1986) Outra vez a presença da editora francesa NATO, já mencionada com Tony Hymas – Pictures Of Departure, onde foi também editado o álbum  “Dancing Line” e de lá se extraiu “Comfortable Gestures”.  O ábum foi uma colaboração com a “designer” de moda francesa Anne-Marie Beretta. Steve Beresforfd é um músico que percorreu o free jazz e gravou com gente dom pós-punk como Flying Lizards e The Slits, foi a escolha ideal para traduzir em música as peças de  Anne-Marie Beretta era considerada uma “arquitecta da roupa”; as letras para as canções foram concebidas por Andrew Banner que depois de passar uma semana no “atelier” de Beretta diria “quando ela fala sobre os seus desenhos é fácil começar a fazer conecções com música. Ela mistura texturas agrestes e macias, por exemplo. Ela fala de côr como se fosse música visual”
114-Violet Eves –Listen Over The Ocean (1985) Listen Over The Ocean é a faixa que dá título ao EP de estreia das Italianas Violet Eves e foi gravado no vanguardista estúdio de Florença G.a.s e editado pela editora independente italiana IRA. O título desta canção serviu de inspiração para a música do grupo, surreal, embiental “juntando imagens de paisagens astrais e marinhas”. As Violet Eves fizeram actuações ao vivo em toda a europa, gravaram três álbuns antes de se separem em 1988.

 
Ouvir a 1ª Hora


2ª Hora do dia 03/08/2019

1-Open Sky Unit – Open Sky Unit – Open Sky
2-Kuniyuki Takahashi – Early Tape Works (1986-1993) Vol.2  - Island
3- Kuniyuki Takahashi – Early Tape Works (1986-1993) Vol.2  -Your Home
4- Kuniyuki Takahashi – Early Tape Works (1986-1993) Vol.2  - Asia
5-Richenel – La Diferencia – Slave Of The Body Mind
6-Dub Oven – Dub Oven- Dub Oven
7-Richenel- Perfect Stranger – I Need Your Love Again
8-Dub Oven – Dub Oven – Skin’N’Bones
9-Workdub – Workdub – The Odyssey
10-Workdub – Workdub – Caravan Visited